Realtime Runtime People – Quatro projetos selecionados

Foram selecionados quatros candidatos e projetos para a iniciativa INVITRO-Gerador, REALTIME RUNTIME PEOPLE. Esta iniciativa conta com o apoio da Ministério da Cultura / DGArtes e é operacionalizada através de uma parceria entre a ARTECH-International, a Universidade Aberta, o Centro de Investigação em Artes e Comunicação (CIAC), a International Society for Education through Art (InSEA) e a Associação de Professores de Expressão e Comunicação Visual (APECV).

REALTIME RUNTIME PEOPLE faz um paralelo entre duas expressões características da computação – REALTIME e RUNTIME – e a forma como a vida moderna, mediada pela tecnologia, decorre atualmente, em TEMPO REAL, cada vez mais limitado e disputado, e a CORRER entre chamadas de atenção constantes dos nossos dispositivos, por via de notificações, mensagens escritas ou através de comunicações de voz e imagem, como se as PESSOAS que se apresentam desprovidas de mediação tecnológica, perante nós, cara-a-cara, tivessem menos prioridade na nossa atenção. Procura-se apresentar este fenómeno, que ocorre com maior incidência em meios urbanos e nas camadas mais jovens da população, recorrendo à criação artística,integrando no processo criativo aquela mesma tecnologia, tornando-a mais visível, obrigando a pensar e refletir sobre ela.

REALTIME RUNTIME PEOPLE atribuiu quatro bolsas para que quatro artistas realizem um projeto de média-arte digital, em que a tecnologia seja uma peça fundamental (incluindo – mas não limitado a – arte generativa, sensores e Arduino, ecrãs tácteis, realidade aumentada através das aplicações Aurasma, World Brush ou WallaMe, aplicações que utilizem Kinect ou Oculus Rift, programação em Processing, jogos, interfaces tangíveis, entre outros), devendo cada artista optar por uma abordagem a uma comunidade, género, faixa etária, interesses específicos, culturais, profissionais, sociais, económicos ou espirituais, por exemplo. A obra a desenvolver deve refletir o envolvimento com essas pessoas, devendo o artista propor um conceito inicial estético, narrativo e tecnológico.

Cada artista verá editada uma monografia dedicada ao trabalho desenvolvido, e terá o seu trabalho exposto em dois momentos, em julho e em outubro. Uma equipa de docentes e investigadores da Universidade Aberta e do Centro de Investigação em Artes e Comunicação (CIAC) irá efetuar o acompanhamento de cada artista, com o propósito de viabilizar o desenvolvimento do seu artefacto tecnológico.

Os artistas/projetos selecionados foram:

Maria Teresa Saruga Barradas Casteleiro Penacho, com o projeto “Don’t Run. Enjoy! Bordados Interativos”, e que poderá ser acompanhado no endereço https://efilozeltech.wordpress.com/

Pedro Alves da Veiga, com o projeto “You&Me (A infinita Constelação Dos Nossos Sentidos)”, e que poderá ser acompanhado no endereço http://pedroveiga.com/category/realtime-runtime-people/

Paulo César da Silva Teles, com o projeto “Pontos G – Shakras Invertidos”

O coletivo wreading-digits, com o projeto “(Des)Conexão”, e que poderá ser acompanhado no endereço http://www.wreading-digits.com/desconexao/blog/